sábado, 30 de outubro de 2010

Contagem regressiva: Deep Impact se aproxima do cometa Hartley 2

Na próxima semana, a sonda espacial norte-americana Deep Impact deverá se aproximar a apenas 700 quilômetros do cometa Hartley 2. Durante a visita, os instrumentos a bordo da nave registrarão bem de perto as erupções de gás, além de mapear a superfície do cometa. O objetivo é aumentar o conhecimento sobre esse astros e entender melhor como os planetas se formaram. Esta é a quinta vez que um cometa será observado tão de perto. FONTE: APOLO11.COM

Sonda Deep Impact
Clique para ampliar
As observações científicas do Hartley 2 começaram em 5 de setembro e agora, no dia 4 de novembro, a sonda fará sua aproximação máxima do cometa estimada para às 10h01 EDT. A missão deve começar na noite do dia 3 de novembro, 18 horas antes do momento da maior proximidade do núcleo do cometa.
“Hartley 2 já proporcionou um grande show com algumas surpresas para a equipe científica da missão”, afirmou o integrante Mike A'Hearn da Universidade de Maryland, em College Park. "Esperamos mais do que o inesperado durante o encontro”, disse A'Hearn.

Aproximação
A fase de encontro da sonda começa no dia 3 de novembro, quando o artefato estiver a apenas 18 horas do ponto de maior aproximação. Neste momento, a sonda cessará a transmissão através de sua antena de alto-ganho e se posicionará de modo que os sensores mantenham o cometa no alvo das câmeras pelas próximas 24 horas.

Durante a fase de encontro, todas as imagens captadas serão armazenadas na memória flash dos dois computadores de bordo. Sete horas depois, os computadores reorientarão a espaçonave, permitindo que a antena de alto-ganho aponte novamente para a Terra, mas sem que as câmeras percam a visão do núcleo cometário.

Quando a antena estiver apontada corretamente, a Deep Impact fará o upload dos dados e imagens da aproximação, ao mesmo tempo em que novas imagens e informações continuarão a ser coletados. Segundo os engenheiros do JPL, Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa, o processo de download poderá levar diversas horas.
De acordo com o cientista Mike A'Hearn, ligado à Universidade de Maryland, devido à forma como a memória interna é gerenciada, as imagens da aproximação máxima não chegarão à Terra em tempo real. "Só teremos as primeiras impressões de como o núcleo desse cometa difere do Temple 1 a partir das 5 primeiras cenas que chegarem", disse A'Hearn.

Temple 1
A sonda Deep Impact está em sua segunda missão. Antes, a sonda produziu um verdadeiro espetáculo celeste ao arremessar um projétil em direção ao cometa Tempel 1, em julho de 2005.


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Padre Pascoal da cidade de Uruburetama sogre acidente na região serrana do municipio

Padre Pascoal Rios Osterne, de 73 anos quando voltava da localidade de Manoel Rodrigues, sofreu acidente por volta das dez horas da noite de sábado. O jeep toyota que o padre dirigia capotou em uma curva próxima à localidade de Guaribuna. O padre e os passageiros que vinham com ele, foram socorridos pela ex prefeita de Uruburetama senhora Graça Corfeiro de Paiva, o pequeno veículo transportava 5 passageiros, por sorte não ouve   nem uma lesão grave, o caso mais grave do padre mais foi levado  para Fortaleza  para o Instituto Doutor José Frota (IJF),e já foi liberado.

terça-feira, 19 de outubro de 2010


Cabo da PM executado a tiro em Paraipaba

O décimo quinto policial militar é assassinado no Ceará. O caso ocorreu no fim de semana, na parte da tarde de domingo, na localidade de Boa Vista, próximo a Lagoinha, no Município de Paraipaba (Litoral Oeste do Estado). A vítima foi o cabo PM José Robério Braúna de Matos, 37 anos, 18 anos de carreira militar, que era lotado na 3ª Companhia do 4º BPM (Itapipoca) e prestava serviço no Pelotaão da cidade de Trairi.

Por volta das 17h30, o militar foi assassinado, com um tiro na cabeça, quando trafegava de moto. Conforme as primeiras investigações preliminares, o cabo Braúna, como era conhecido, estava de folga e tinha ido à Paraipaba visitar os familiares.
O cabo PM Braúna deixa uma esposa e dois filhos de luto.
Matéria de responsabilidade do sargento Antonino de Uruburetama
 

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Ultimas

Coliseu de Roma abre masmorras dos gladiadores ao público

Pela primeira vez, turistas poderão visitar o subterrâneo do monumento romano

Reuters |fonte: ig.com


Visitantes passeiam pela área superior do Coliseu, anteriormente fechado para turistas
Masmorras subterrâneas do Coliseu de Roma, visto como uma das grandes obras da arquitetura romana, onde na antiguidade gladiadores se enfrentavam em combates mortais, serão abertas ao público pela primeira vez na próxima semana.

Uma área superior do monumento antigo que estava fechada desde os anos 1970 também será acessível a visitantes, proporcionando a eles uma vista do fórum antigo de Roma, anunciaram funcionários do Ministério da Cultura italiano na quinta-feira.


A abertura dos recintos subterrâneos, onde leões e tigres ficavam presos em jaulas e onde os gladiadores aguardavam para ouvir qual seria seu destino, e da terceira fileira superior do anfiteatro romano do ano 80 d.C., acontece após obras recentes de restauração.

"Será a primeira vez que as pessoas terão a oportunidade de descer para os lugares onde os jogos e espetáculos eram organizados", disse Rossella Rea, diretora do Coliseu.

As autoridades disseram que a ideia também é dar mais espaço aos visitantes em um dos monumentos mais visitados da Itália, que, nos tempos da antiguidade romana, era palco de falsas batalhas navais, de enfrentamentos entre guerreiros e animais selvagens e de reencenações de batalhas famosas.

Rea disse que mais de 18 mil pessoas visitam o anfiteatro diariamente e que há pouco espaço para tantos visitantes. As áreas recém-abertas serão acessíveis em visitas guiadas com no máximo 25 pessoas de cada vez.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

politica

Debate na TV eleva temperatura entre Dilma e Serra

fonte: SÃO PAULO (Reuters) - Dilma Rousseff (PT) surpreendeu no domingo ao partir para o ataque contra José Serra (PSDB) no primeiro debate da campanha presidencial do segundo turno.
Mas enquanto o tucano procurou fustigar a adversária em temas de interesse geral, como saúde, segurança e educação, a petista insistiu na discussão das privatizações e no que chamou de campanha caluniosa patrocinada pelo tucano.
"Estou surpreso com essa agressividade e esse treinamento da Dilma Rousseff," fez questão de ressaltar o tucano, já no final do debate promovido pela Rede Bandeirantes, aproveitando para alfinetar a adversária: "Está se mostrando como é na realidade."
Dilma, por sua vez, aproveitou uma frase de Serra no debate -quando disse que "ouviu dizer", na ocasião da negociação da venda da Nossa Caixa, banco estatal paulista, ao Banco do Brasil, que ela seria contra a operação- para exemplificar suas reclamações contra a campanha do adversário.
"Ou se tem prova ou não se acusa as pessoas. É por essa prática de ouvir dizer que o candidato Serra é réu num processo de calunia e difamação. O que não é possível é ficar assacando contra as pessoas, porque aí vão ser vários processos", disparou.
Serra provocou ao questionar porque a candidata do PT é contra a criação do Ministério da Segurança Pública, proposto por ele, e ao apontar para a difícil situação econômica das Santas Casas e para a demora na aprovação de novos medicamentos genéricos, uma das suas principais marcas como ministro da Saúde. E prometeu investir pesado nos ensinos fundamental, técnico e profissionalizante.
Já Dilma atacou o viés privatista do PSDB de Serra e a ideia que teria sido apresentada por um assessor, David Zylbersztajn, diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP) no governo FHC, de privatizar o pré-sal.
"A questão de privatização volta sempre na época de eleição", disse o tucano. "Não vou fazer privatização nenhuma do pré-sal. Eu tenho cabeça própria e tenho as minhas ideias."
E usou uma metáfora para resumir sua ideia. "Qual seria o Brasil do PT? O Brasil do PT seria o Brasil do orelhão." Mas levou o troco da petista. "O meu Brasil não é o Brasil do orelhão, é o Brasil da banda larga, mas é a banda larga para todos."
Dilma também aproveitou uma deixa quando foi questionada sobre os problemas e falta de investimentos em infraestrutura, como portos e aeroportos. Ao justificar o porquê dos aeroportos estarem lotados, Dilma argumentou que "o povo está viajando de avião", o que, segundo ela, só os ricos faziam no tempo do governo FHC, do qual foi ministro Serra.
A tática mais agressiva usada por Dilma repete, com papéis trocados o que ocorreu há quatro anos. Em 2006, o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, partiu para o ataque contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Muitos analistas consideraram que ele exagerou no tom, o que acabou se voltando contra ele.
A diferença é que Alckmin estava atrás de Lula e Dilma, segundo pesquisa do Datafolha divulgada no sábado, ela tem 48 por cento das intenções de voto contra 41 por cento de Serra.
CORRUPÇÃO E ABORTO
O escândalo que derrubou Erenice Guerra, ex-auxiliar de Dilma, da chefia da Casa Civil foi mencionado no debate assim como o polêmico tema do aborto, que teria custado votos de Dilma junto ao eleitorado religioso.
Serra acusou as mudanças de posição da candidata sobre o assunto, enquanto ela procurou devolver dizendo que, quando ministro da Saúde, ele definiu uma normatização sobre o atendimento nos casos previstos na lei, ressaltando que concordava com a ação dele.
Dilma chegou a mencionar ainda o que a esposa do candidato tucano, Monica Serra, teria dito durante a campanha, de que a petista seria a favor de matar criancinhas.
Serra também aproveitou para lembrar que enquanto ele tem o apoio de dois ex-presidentes respeitados pela população -Fernando Henrique Cardoso e Itamar Franco-ela é apoiada por Fernando Collor de Mello e José Sarney.
No final, os dois candidatos pediram votos aos telespectadores, com Dilma dizendo que será uma "presidenta com olhar social" e Serra repetindo o que fez no último debate do primeiro turno, um apelo para que seus eleitores consigam mais um voto.
Num debate que não lembrou em nada o modorrento embate final da primeira fase da campanha, tanto Dilma como Serra evitaram muitas vezes responder as perguntas feitas pelo adversário. Ou, para usar o mesmo verbo repetido inúmeras vezes pela petista durante o debate: tergiversaram.
(Por Alexandre Caverni)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Marina propõe programa a rivais e vê Brasil pronto para mulher na Presidência

Diego Salmen
Do UOL Eleições
Em São Paulo
 



A candidata derrotada do PV ao Palácio do Planalto, Marina Silva, apresentou nesta sexta-feira (8) o documento que servirá de base para conversas  sobre um possível apoio da verde aos presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) ou José Serra (PSDB) no segundo turno. Além disso, a ex-ministra do Meio Ambiente repetiu, ao ser questionada, que “o Brasil está preparado para ter uma mulher na Presidência da República”.
No entanto, a senadora pelo Acre não explicitou apoio à ex-ministra da Casa Civil, candidata do partido pelo qual Marina militava até o ano passado, nem a Serra, que tem a preferência de membros da cúpula do PV. “Cabe a quem está na disputa convencer o eleitor. Não sou eu quem vai falar”, disse ela, que contou com cerca de 19% dos votos no primeiro turno.

A peça apresentada pelo PV, intitulada “Agenda por um Brasil Justo e Sustentável” contém propostas abordando dez temas distintos, que vão da transparência nos gastos públicos a uma proposta de reforma política e ao aumento do investimento na educação. A redação do programa foi concluída nesta tarde por uma comissão nacional do partido.
“Não existe uma garantia a priori do que vai ser feito por alguém que chegar ao governo”, afirmou Marina ao comentar sobre possibilidade de aplicação do programa por quem suceder o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Da nossa parte, havia um compromisso. E é por esse compromisso que estamos lutando.”
Compareceram à entrevista o presidente do PV, José Luiz Penna, o vice, Alfredo Sirkis, e o candidato derrotado do partido ao governo de São Paulo, Fábio Feldmann. Os dirigentes afirmaram que nenhum dos pontos do documento é prioritário e garantiram que a discussão com os candidatos restantes “será programática”, apesar de admitirem que não há consenso no partido em torno do nome a ser apoiado.
“Reconheço que é difícil [termos posição unitária]”, afirmou Penna. “Mas ainda tenho fé que a quantidade de pessoas que se manifeste contrariamente [à unidade] seja pequena”, disse.
Propostas
O documento, que, segundo Marina, será utilizado em “uma eventual interlocução com Dilma e Serra”, traz propostas de reforma política, com adoção do voto distrital misto e financiamento público de campanha. Para a educação, o texto prevê o aumento do investimento na área para sete por cento do PIB e a erradicação do analfabetismo até 2018, entre outros pontos.
Na área de segurança pública, a principal proposta é a criação de um fundo nacional “para complementar os salários dos policiais civis e militares”. No meio-ambiente, que dá a Marina suas principais bandeiras, o destaque é o veto a propostas do código florestal que promovam “anistia a desmatadores”. O trecho se refere à sugestão apresentada pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB), que tramita no Congresso.
Além disso, o documento fala em uma reforma tributária que simplifique impostos e também em uma política externa “orientada pela promoção da paz”.
Fisiologismo
A ex-ministra do Meio Ambiente foi questionada sobre uma suposta negociação de cargos que membros do partido teriam realizado com Serra, para o caso de eleição do tucano. Vice-presidente do PV, Sirkis reafirmou o caráter programático das propostas, mas admitiu que integrantes do partido recorrem à negociação de cargos em troca de apoio.
“Não que todo mundo do PV tenha essa visão [programática]. Mas hoje ela é, sem dúvida, hegemônica”, disse. No dia 17 deste mês, a sigla decidirá se apoiará um dos candidatos à Presidência em uma convenção nacional. Marina não especificou se a aceitação do documento pelos presidenciáveis será decisiva para o apoio. “Nós vamos para uma convenção. Até lá, vamos ter um debate”, disse. 
 

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

TRE – CE divulga votação dos indeferidos

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) divulgou no fim da manhã desta segunda-feira (4) a votação dos candidatos que foram indeferidos, mas que apresentaram recurso. Eis a relação dos mais votados:
Governador: 21 – MARIA DA NATIVIDADE – 3.063 votos.
Senador: 432 – POLÔ – 76.030 votos; 210 – TARCISIO LEITÃO – 12.879 votos.
Deputado Federal: 1113 – EUGÊNIO RABELO – 82.028 votos; 4569 – MANOEL SALVIANO – 76.915 votos; 1331 – ILÁRIO MARQUES 58.156 votos; 2222 – ADLER GIRÃO – 30.875 votos; 3131 – JOCÉLIO VIANA – 12.411 votos; 1599 – JOSÉ GERARDO ARRUDA FILHO – 2.119 votos.
Deputado Estadual: 13200 – DEDÉ TEIXEIRA – 52.679 votos; 15555 – NETO NUNES – 45.843 votos; 17999 – PERBOYRE SILVA – 29.443 votos.

Resultado em Uruburetama

Zona  eleitoral 0023—município 15776 - Uruburetama
Lista de candidatos mais votados em Uruburetama

Candidatos  a presidência                                            
                                                                                  votos       

13 - Dilma Vana Rousseff                                            8.284
45 - José Serra                                                              2.323
43 - Maria Osmarina da Silva Vaz de Lima                 1.153
50 - Plínio Soares de Arruda Sampaio                          43

Governadores

Candidatos                                                             Votos
40 - Cid Ferreira Gomes                                        5.691
45 - Marcos Cesar Cals de Oliveira                       3.398
22 - Lucio Gonçalo de Alcântara                           1.801
43 - Raimundo Marcelo Carvalho da Silva             75
50 -  Soraya Vannini Tupinambá                              15

Senadores

Candidatos                                                         Votos
135- José Barroso Pimentel                               7.007
151– Eunicio Lopes de Oliveira                        5.927
456 - Tasso Ribeiro Jereissati                             5.205
234 - Alexandre Pereira Silva                             1.205
50 - Marlene Torres de Vasconcelos

Deputados Federais
Candidatos                                                                          Votos
2255 - Vicente Ferreira de Arruda Coelho                           3.988
1500 - Aníbal Ferreira Gomes                                               1,895
1555 - Carlos Mauro Cabral Benevides                                411
1322 - José Nobre Guimarães                                                410
1234 - Andre Peixoto Figueiredo Lima                                 396
3113 - Francisco José Caminha Almeida                               235
2223 - Pedro Ribeiro Filho                                                    228
1451 - José Arnon Cruz Bezerra de Menezes                        162
6565 - Francisco Lopes da Silva                                            152
1513 - Francisco Danilo Basto Forte                                     127
1000 - Flávio Bezerra da Silva                                              124
6510 - João Anantas Vasconcelos Neto                                 120
1313 - Artur José Vieira Bruno                                              111
2233 - Maria Gorete Pereira                                                  103
2211 - Antonio Marcelo Teixeira Sousa                                101

Deputados Estaduais
Candidatos                                                                   Votos
40444 - José Jacome Carneiro Albuquerque                 3.539
40123 - Carlos Mauro Benevides Filho                        2.051
10124 - Manoel Duca da Silveira Neto                         1.757
43600 - José Edisio Oliveira Teixeira Pacheco              598
65100 - Antonio Pierre Aguiar Neto                               349
19999 - Jovanildo Sobral do Nascimento                        320
32234 - Agostinho Frederico Carmo Gomes                   198
12999 - Raimundo Nonato Ferreira Aragão                    177
45678 - Fernando Hugo da Silva Colares                        175
44789 - Maria Bethrose Fontele Araujo                           114
10000 - Ronaldo Machado Martins                                  110
15777 - Silvana Oliveira                                                   92
15150 - Carlomano Gomes Marques                                87
31013 - Jocélia Ligia Da Cunha Silva Castro                   83
23321 - José Adail Carneiro Silva                                    72

Total de Votos apurados                          13.377
Votos validos ( nominais + legenda )      12.301           ( 91.96%
Votos nominais                                        11.103
Votos de legenda                                      1.198
Votos em branco                                       776                ( 5,80%
Votos nulos                                               300                ( 2,24%
Votos anulados e apurados em separado      0                ( 0,00%
Seções totalizadas                                        55               ( 1,00,00%
Comparecimento                                          13.377          ( 87,37%
Abstenção                                                    1.933             ( 12.63%





domingo, 3 de outubro de 2010

Politica


Uruburetama pode bater o Record  de votos nulos, brancos, e de eleitores que deixou de votar.

Os eleitores de Uruburetama insatisfeitos com a não visita de políticos em suas casas, dizem que  devem anularem o voto, e outros  se aproveitam de que menores de 18 anos abaixo, maiores de 70 anos, analfabetos só votam se quiser, estão tirando proveito disso . 30 °/° dos eleitores de Uruburetama não sabem votar.

Tracking Vox Populi/Band/iG: Dilma tem 53% dos votos válidos

Segundo o último tracking antes da votação, diferença entre petista e adversários caiu. Serra tem 30% e Marina, 16% dos válidos

iG São Paulo

A vantagem da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, caiu em todas as regiões do Brasil, de acordo com o tracking Vox Populi/Band/iG divulgado neste sábado, véspera da eleição.
Segundo o levantamento, mesmo com a queda, Dilma seria eleita ainda no primeiro turno, com 53% dos votos válidos, dois pontos percentuais a menos que ontem. Para ganhar no primeiro turno, a candidata precisa de 50% dos votos válidos (quando não são considerados os brancos e nulos) mais um.
O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, também caiu de ontem para hoje. O tucano foi de 31% para 30% dos votos válidos. Já a candidata do PV, Marina Silva, subiu de 13% para 16% dos válidos.
Considerando votos brancos e nulos, a petista alcança 47%, um ponto percentual a menos que ontem. O presidenciável tucano manteve hoje o mesmo patamar de 26%. A candidata do PV cresceu um ponto percentual e foi para 14% das intenções. Os demais candidatos somam 1%. Votos brancos e nulos somam 4% e indecisos, 8%.
A candidata petista caiu em todas as regiões do País, segundo a pesquisa. No Centro-Oeste e Nordeste, Dilma caiu de 45% ontem para 43% hoje. Nessas regiões, Serra cresceu de 30% para 32% e Marina foi de 17% para 16%.
No Sul, Dilma caiu de 48% para 46%, enquanto Serra manteve 34% e Marina subiu de 7% para 8%. No Sudeste, a petista caiu de 39% para 38%. Serra também caiu de 29% para 27%, enquanto Marina subiu de 17% para 19%. No Nordeste, Dilma caiu de 64% para 63%, Serra subiu de 16% para 17% e Marina manteve 10%.
A margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 27.428/10. O tracking Vox/Band/iG conta com 2.000 entrevistas, sendo que um quarto dessa amostra é renovada diariamente.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

politica debate

Dilma e Serra evitam confronto no último debate na TV fonte ig ultimo segundo

Plateia só reagiu após Dilma dizer que PT registrou "todas as doações que são oficiais"; troca de ataques envolveu Marina e Serra

 Adriano Ceolin, Raphael Gomide e Ricardo Galhardo

A três dias da eleição, os presidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) evitaram o confronto direto no último debate antes ida às urnas, no próximo domingo. Durante todo o evento organizado na noite desta quinta-feira pela TV Globo, Serra e Dilma não trocaram uma pergunta sequer. Preferiram reservar questionamentos ao rivias Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL).
No início do confronto, Serra, Marina e Plínio chegaram a ensaiar algumas críticas a Dilma. Ainda assim, nenhum dos temas mais polêmicos da corrida presidencial deste ano - como a demissão da ex-ministra Erenice Guerra ou os recentes boatos que atribuíam à petista uma postura favorável ao aborto - entrou nos pronunciamentos.
A primeira reação da plateia às manifestações dos candidatos só veio no terceiro bloco, quando Dilma afirmou que seu partido registrou "todas as doações que são oficiais". Diante dos risos - alimentados pela suposição de que nem todas as doações seriam oficiais -, a petista não escondeu a irritação e rebateu: "Todas as doações são oficiais. E eu lamento os risos de quem tem outras práticas. Lamento", afirmou, despertando ainda a reação dos presentes.
O tom do debate só subiu no último bloco, quando Marina reforçou as críticas a Serra e Dilma. Depois de comparar o tucano com a petista, a senadora acabou despertando a reação de Serra.
"Não use a sua régua para ficar medindo. Se eu fosse usar a minha régua, diria que você e a Dilma são muito parecidas", afirmou o tucano. "Você, até pouco tempo estava no PT. Você estava no governo do mensalão", disse Serra, em referência à crise política que atingiu o governo Lula em 2005.
Um pouco antes, Marina havia questionado Serra sobre o futuro do Bolsa Família, ao dizer que PSDB e DEM criticaram no passado o principal projeto social do governo Lula. Serra, em resposta, voltou a tomar para si a autoria do Bolsa Escola, que segundo ele foi o embrião do programa.
Dilma foi ao debate preparada para responder a ataques sobre os boatos de que seria favorável ao aborto. Os rumores, que circularam na internet nos últimos dias, foram desmentidos ao longo da semana pela petista, por seu partido e pelo presidente Lula. O tema, entretanto, não apareceu no debate da Globo. Mesmo assim, a candidata fez um aceno ao eleitorado religioso nas considerações finais, ao agradecer "a Deus e aos eleitores".
De acordo com a TV Globo, a audiência do debate variou entre 14 e 26 pontos. Já em São Paulo, o índice variou de 14 a 23.José Serra (PSDB), Marina Silva (PV), Dilma Rousseff (PT) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) aguardam início do debate
Primeiro bloco
Logo no primeiro bloco, a primeira a concentrar as críticas na ex-ministra da Casa Civil foi Marina Silva, que escolheu falar sobre a informalidade do mercado de trabalho. Dilma, por sua vez, investiu no discurso sobre a criação de empregos com carteira assinada. Logo em seguida, Dilma questionou Plínio sobre meritocracia no serviço público. Plínio devolveu: "Esta seria uma prática do meu governo. Não é do seu".
Plínio também subiu o tom contra Serra. Questionou o tucano sobre reforma tributária e cobrou um remanejamento da cobrança de impostos, de forma a aliviar a carga para as camadas sociais menos favorecidas. Serra aproveitou para repassar o ataque a Dilma. "Eu sou contra coisas que foram feitas pelo governo federal inclusive com ajuda da ministra Dilma, como o aumento dos impostos sobre a água e o esgoto", disse o tucano.
Segundo bloco
Sorteada para abrir o bloco, Dilma decidiu investir no tema de ferrovias. Questionada sobre o assunto, Marina lamentou o fato de o sistema de transporte brasileiro não tomar o modelo ferroviário por base. Chegou a ensaiar um elogio ao governo Lula, alegando que há um plano de gestão na área. Mas depois engatou: "Estamos atrasados para que o nosso País possa fazer jus aos imensos desafios que temos."
Serra prometeu criar uma Defesa Civil Nacional, para minimizar o impacto de desastres naturais. Prometeu remover e oferecer moradia para pessoas que vivem em área de risco. "Há um trabalho que é estrutural, que é a questão das áreas de risco." Temas como transporte público também apareceram. O tucano, por exemplo, prometeu um plano de expansão do metrô em parceria com governos e municípios. Plínio ironizou: "E eu pergunto: com que dinheiro vai fazer isso?"
Plínio ironizou o fato de rivais não exaltarem seus partidos. Dilma riu e engatou: "Eu agradeço. Vou falar do meu partido, o Partido dos Trabalhadores". A petista defendeu um governo de coalizão, com uma coligação partidária ampla.
Terceiro bloco
Sorteado para fazer a pergunta de abertura do bloco, Serra questionou Marina sobre habitação. A candidata criticou o déficit habitacional e prometeu manter, em um eventual governo, o programa Minha Casa, Minha Vida. O projeto é uma das bandeiras de campanha de Dilma. "Vamos encarar esse problema com o devido respeito", disse Marina.
Serra aproveitou para falar sobre urbanização de favelas, proposta que prometeu estender a outras regiões do País. "Eu não vi essa prioridade ser encaminhada em São Paulo, Serra, no período em que você foi prefeito e em que você foi governador", afirmou Marina, criticando a situação de favelas paulistas.
O tema do saneamento, que já havia sido citado por Serra, foi usado contra Dilma também por Plínio. Dilma disse que o governo Lula investiu muito mais que o anterior e prometeu trabalhar para que todos os domicílios brasileiros tenham água tratada.
Quarto bloco
Plínio questiona e Dilma atrapalha-se ao responder quando questionada sobre limite de propriedade. Em seguida, engata no tema do déficit habitacional e retoma o programa Minha Casa, Minha Vida. Além das discussões sobre moradia, os candidatos se revezaram em exposições sobre desenvolvimento e o futuro do País.
Dilma aproveitou para engatar no tema da crise econômica e alfinetou Marina. "Acho que diante da crise, a gente não usa teoria. Quando a gente é governo, a gente não acha. A gente tem que fazer", disse, voltando-se à candidata verde. Marina reagiu: "Eu tenho dito que ela e o Serra são muito parecidos. Têm um perfil estritamente gerencial", afirmou a senadora. "No seu mundo, você corretamente coloca os acertos e os ganhos. Mas você não coloca os novos desafios", emendou a candidata do PV. Segundo ela, os brasileiros não querem "o mundo azul de Serra e o mundo cor de rosa de Dilma."

*Colaboraram Cíntia Acayaba, Daniela Almeida, Mario Rocha, Flávia D'Angelo, iG São Paulo

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Porque não reforma


O tradicional clube de Uruburetama está praticamente destruído

 
O famoso centro Arraialense que já foi palco de muitas festas hoje está praticamente destruído, nem mesmo eleição ouve mais, muro caído, o  mato toma de conta da parte de traz do clube nem uma providencia é   tomada, a energia está cortada e a conta ´é bastante alta para pagar. Temos saudades do saudoso centro Arraialense de Uruburetama.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

politica

Vox Populi aponta liderança de Cid com 51%, Lúcio com 20% e Cals com 10%

Pesquisa aponta vitória do candidato do PSB no primeiro turno.
Por: Luciano Augusto  fonte: ceara agora

Vinte e quatro horas antes da divulgação da pesquisa Instituto Datafolha contratada pelo jornal O Povo, o Instituto Vox Populi aponta que, se as eleições fosse hoje, o governador Cid Gomes seria reeleito no primeiro turno 51% das intenções de voto. Lúcio Alcântara (PR) aparece com 20%, Marcos Cals (PSDB) com 10% e Marcelo Silva (PV) com 1%.
Segundo a pesquisa, os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos totalizaram 4% e indecisos 14%. A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos.
De acordo com o Vox Populi, 69% dos entrevistados disseram que não mudarão seus votos e 29% admitiram que ainda podem mudar.
Cid Gomes é apontado como candidato com mais chance de vitória por 68% e Alcântara por 13%. A rejeição ao governador é de 20%, a Alcântara 19% e a Cals 8%
Na pesquisa espontânea Cid tem 37% contra 12% de Alcântara.
A pesquisa ouviu 800 eleitores durante três dias, e foi registrada no TSE sob o número 25593/2010.

politica

CNI/Ibope: Dilma venceria no primeiro turno se eleição fosse hoje

A candidata petista tem 50% das intenções de voto, contra 41% de todos os outros concorrentes.
Por: Márcio Dornelles fonte: ceara agora
A petista Dilma Rousseff, candidata à Presidência da República, continua com ampla vantagem em relação aos demais concorrentes, é o que atesta a última pesquisa Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O trabalho foi desenvolvido nos dias 25, 26 e 27 de setembro.
Dilma está com 50% das intenções de voto, contra 27% do candidato José Serra (PSDB) e 13% de Marina Silva (PV). Os outros concorrentes, somados, tem apenas 1%. No total, todos tem 41%, vantagem que daria à candidata do PT vitória ainda no primeiro turno.
Foram feitas 3.010 entrevistas e a margem de erro máxima é de dois pontos percentuais.
Mais
Para ganhar no primeiro turno é necessário ter, pelo menos, 50% mais 1 de todos os votos válidos (os dados apenas aos candidatos, descontados os brancos e os nulos).
Gráfico

*O gráfico acima mostra o crescimento de Dilma nas pesquisas. De 37, a petista passou para 50 pontos. Serra caiu 10 em relação ao começo da campanha. Já Maria Silva manteve-se estável, com elevação de quatro pontos percentuais.

sábado, 25 de setembro de 2010

Centenas de romeiros de Uruburetama se preparam para a festa de São Francisco

Todos os anos os romeiros de São Francisco que vivem em Uruburetama viájam para Canindé em busca de proteção, outros para pagar promessas eoutros para curtir uma viágem turistica. Esse ano não é diferente, vários carros deveram sair de Uruburetama para Canindé no inicio das festas.

Aniversário


Parabéns Dr. Alexandre Nery pelo seu aniversário.
 
O vereador e presidente da câmara Dr. Alexandre fez aniversario nesta ultima sexta feira dia 24 de setembro e o povo de Uruburetama parabeniza e pede a Deus que essa data se repita por muitos e muitos anos. O vereador Alexandre é consideradamente o vereador mais atuante em todos os seus mandatos, não é atóa que em todas as campanhas que ele disputou sempre foi o campeão de votos, hoje é o nome mais certo para prefeito em 2012.

Forças Armadas sofrem corte de 44% dos recursos e preveem colapso Queda de 7,8 bilhões de reais no orçamento afeta a vigilância da fronte...