quarta-feira, 14 de junho de 2017

Incêndio em Londres adia conclusão das negociações entre May e o DUP

Início oficial da legislatura e arranque das negociações para a saída do Reino Unido da UE ainda sem data confirmada.
Só o acordo com o DUP garante a May maioria no Parlamento STEFAN WERMUTH/REUTERS
Não foi ainda nesta quarta-feira que Theresa May concluiu o acordo que permitirá ao seu governo ter maioria no Parlamento. O Partido Democrático Unionista (DUP) diz que falta apenas acertar “os termos e as condições” do entendimento com os conservadores, mas dizem que seria “impróprio” fazer um anúncio perante o incêndio que matou seis pessoas e feriu dezenas numa torre de habitação em Londres.
Fontes ouvidas pela BBC admitem que a agenda de May e da líder do DUP, Arlene Foster, pode empurrar a conclusão das conversações para a próxima semana, tornando inevitável o adiamento do Discurso da Rainha, a sessão que marca o início da legislatura, previsto para segunda-feira. No mesmo dia deveriam começar as negociações para a saída do Reino Unido da União Europeia – na terça-feira, durante uma visita a Paris, May disse que o calendário se mantém, mas Michel Barnier, o principal negociador da UE, já disse que a primeira reunião com os britânicos não deverá acontecer antes da próxima quinta-feira, dia 22.
A líder conservadora convocou entretanto todos os partidos da Irlanda do Norte para reuniões esta quinta-feira em Downing Street, numa aparente tentativa para os tranquilizar sobre o acordo que negoceia com o DUP, visto por vários dirigentes como uma ameaça à neutralidade de Londres no âmbito do processo de paz. Um risco maior numa altura em que as instituições autónomas da Irlanda do Norte estão suspensas, sem que o DUP e os republicanos do Sinn Féin, os mais votados nas eleições de Março, consigam chegar a um novo acordo de partilha de poder, sem o qual não é possível formar um governo.
Arlene Foster, que se reuniu terça-feira com May em Londres, assegura que o acordo que está a negociar com a primeira-ministra conservadora trará benefícios não só para a Irlanda do Norte, como para todo o Reino Unido. O jornal Guardian adianta que uma das exigências do DUP é a descida do imposto sobre as empresas na Irlanda do Norte para valores próximos dos aplicados na vizinha da Irlanda do Norte – medida que até agora Londres condicionava a um corte nas transferências orçamentais para a ilha. Os unionistas irlandeses querem também que May recue também nalgumas medidas de austeridade previstas no programa eleitoral dos conservadores e adopte uma estratégia para as negociações do “Brexit” que garanta uma relação próxima com a UE. fonte;uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

General fala em intervenção se Justiça não agir contra corrupção Diego Vara - 28.abr.2014/Agência RBS/Folhapress O general Antônio Hami...